» NO FUTEBOL TEM COISAS QUE SÓ ACONTECEM COM O FLAMENGO.Isabel Kieling

NO FUTEBOL TEM COISAS QUE SÓ ACONTECEM COM O FLAMENGO.

by Redação em 13 de abril de 2012 | 21:43

NO FUTEBOL TEM COISAS QUE SÓ ACONTECEM COM O FLAMENGO. Ontem, por exemplo, ocorreu uma destas. O fato me empurrou até aqui para pedir desculpas por estar sumida e escrever sobre isto. No meu último post comentei do desafio de voltar à faculdade, aos 58. Tudo bem se fosse um curso de Direito ou de Administração, talvez não me sentisse tão deslocada, mas resolvi fazer cinema. Todas aquelas garotas e garotos, bonitos, antenados, com seus fones de ouvidos, “smartphones” e donos do seu tempo, parecem não ter muita paciência de aturar em sala de aula, uma pessoa do mesmo jeito dos seus pais ou talvez avós. Tem momentos, que parece que falo outra língua. E os professores, então? Lançam olhares de pena e às vezes de reprovação, tipo,  pensando: “o que esta velha maluca esta fazendo aqui?”.  Mas por enquanto não desisto. Sou teimosa e vou continuando, cada vez gostando mais.

Mas voltando ao Flamengo, merecidamente desclassificado da Libertadores, só que não precisava ser com tanta emoção e sofrimento.  A classificação seria algo muito remoto, o Flamengo teria que vencer em casa, e os outros dois adversários, que jogavam entre si e que também disputavam a segunda vaga do grupo, teriam que empatar. Até ai, tudo bem, era difícil. Agora ninguém, nem a torcida contra esperava a eliminação com tantos requintes  de crueldade.   Aos 25 minutos do segundo tempo, o rubro-negro estava classificado, mas a manutenção do empate seria difícil aos 42 minutos o Emelec passou na frente e o Flamengo estava eliminado. Então aos 46, O Olimpia empatou, o Flamengo estava classificado, mas aos 47, o Emelec desempatou e ficou com a vaga.

Agora precisava acontecer tudo nos últimos 5 minutos do jogo? Não dava pra um dos times ter uma vitória normal?  Um gol em cada tempo, por exemplo? Claro do ponto de vista da torcida do Emelec foi uma vitória heroica e merecida. E vamos combinar: o Flamengo não fez a lição de casa. Num grupo fraquíssimo, com equipes somente voluntariosas, mas fracas, ganhar as três partidas em casa não seria nada demais. Como diz, o técnico do Santos, Murici Ramalho: “a bola pune”. E na Libertadores, qualquer deslize, qualquer baladinha é fatal.

perfil

Isabel Kieling é gaúcha, moradora apaixonada do Rio de Janeiro, e jornalista de formação. E, contrariando o senso comum, entende muito de futebol. Por isso, inaugura a nossa mesa redonda virtual para comentar os melhores lances dos esportes e dos atletas – claro. Mas ela também bate a sua bolinha – só que a de golfe! Isabel também é golfista, e atualmente luta para sair das últimas posições do ranking.

Erro ao estabelecer uma conexão com o Banco de Dados