» Orgasmo femininoBeth Valentim

Orgasmo feminino

by Beth Valentim em junho 4, 2007 | 9:00 pm

O orgasmo é uma experiência fascinante do corpo e do emocional. É atingido quando se está no auge do prazer. A mulher se comporta diferentemente do homem, no que diz respeito ao fator fisiológico da sexualidade. Ela deve ser acariciada, seduzir e ser seduzida. Gosta de perceber que está sendo apreciada pelo homem, olhada. Precisa, necessariamente, das preliminares. Seu comportamento diante do orgasmo se inicia no momento em que é assediada, seja por um convite para sair ou quando dividem a mesma cama.

No caso do convite, faz um movimento especial que mexe com a sua fantasia – o "aprontar-se" para o momento do sexo. Passa creme, compra calcinha sexy, faz as unhas e os cabelos. Sempre pensando em como ele vai gostar de vê-la bonita. Nesse vai-e-vem de cuidados, suas fantasias vão se aflorando e ela pode chegar ao encontro bastante excitada para a relação sexual. Preparar-se gera na mulher expectativas que podem mexer com os seus hormônios. Isto pode ser observado quando se fala de uma situação excitante que sente calor, rubor na face e o brilho nos olhos. Esse estado leva a motivação da mulher para o sexo, por isso ela deve abusar dessa fase que antecede ao encontro, o que a torna mais solta e livre para o ato.

‘Enquanto o homem e a mulher se acariciam, falam palavras gostosas de serem escutadas e fazem jogos de sexo, a intensidade do prazer vai aumentando e a mulher vai ficando ainda mais excitada

Quando moram na mesma casa, o jogo de palavras, a maneira como o homem a segura, como diz que a deseja, expressões de carinho e pura sensualidade, vão levar a mulher a ficar excitada, favorecendo o momento da penetração. Enquanto o homem e a mulher se acariciam, falam palavras gostosas de serem escutadas e fazem jogos de sexo, a intensidade do prazer vai aumentando e a mulher vai ficando ainda mais excitada. Chega um momento em que alcançará o auge dessa excitação, levando-a a manifestar uma forte sensação de entrega.

Algumas mulheres podem demorar mais do que outras, o que não deve levar a preocupação. O que interessa mesmo é que sinta prazer durante a relação para poder chegar ao orgasmo. Portanto, mãos à imaginação antes e durante o ato sexual. No momento do orgasmo, algumas modificações são causadas pela forte sensação de prazer – dilatação das pupilas, aumento do suor, elevação da freqüência dos batimentos cardíacos, pulsação elevada, tremor pelo corpo acompanhado de fortes espasmos. Algumas mulheres têm outras reações, mas essas são as mais freqüentes. Cada casal tem suas características e aos poucos vão se adaptando um ao outro. Quanto a chegar ao orgasmo juntos nem sempre acontece, cada um tem seu próprio tempo e deve ser respeitado.

Os tipos de orgasmo da mulher variam – pode ser clitoriano, quando o clitóris é estimulado pelo sexo oral, pelas próprias mãos ou a do parceiro, vibrador ou qualquer outro objeto. É o mais comum entre as mulheres por ser um órgão extremamente enervado. O orgasmo vaginal é o que leva a mulher a sentir o prazer devido à penetração. Não é o mais comum, mas pode ser atingido e bastante intenso quando se alcança o ponto G. Os orgasmos múltiplos levam a mulher a ter uma seqüência de orgasmos menos intensos, mas que elevam a duração da satisfação da mulher. Algumas vezes a mulher não tem explosões no orgasmo, mas pode ter pequenos deles durante o ato, o que é muito prazeroso. Ainda pode ter orgasmo com o sexo anal e outras vezes com a manipulação dos seios ou mamilos.

O importante para se chegar ao orgasmo é que a estimulação seja numa área de grande excitação. A mulher deve conduzir as mãos do parceiro para o lugar do seu corpo que lhe dê prazer. Isso irá aumentar a intimidade dos dois, além de ela estar mostrando ao parceiro onde gosta de ser tocada. O importante é os dois terem harmonia e estarem entregues a esse momento que leva a mulher e ao homem sensações de grande prazer.

Dicas:

- Inove, por exemplo, comprando uma calcinha nova;

- Cuide do corpo com cremes que o torne macio;

- Esteja sempre em dia com a depilação;

- Leve as mãos do parceiro para onde sente mais prazer;

- Fale suas fantasias e descubra seu corpo acariciando as áreas mais sensíveis quando estiver sozinha;

- Não sinta vergonha do seu corpo, se entregue e viva o momento;

- Se tiver medos que não consegue explicar antes e durante a relação sexual, ou dores durante a penetração, procure um especialista. A razão pode ser emocional, o que requer a avaliação de um psicoterapeuta ou mesmo do seu ginecologista.

perfil

Consultora em comportamento, Escritora, Poetisa, Colunista, Blogueira. Consultora em Desenvolvimento Pessoal. Mestrado em Psicologia Social. Autora dos livros "Essa tal felicidade" em eBook e Mequiel – O caçador de sonhos. bethvalentimcoisademulher.blogspot.com.br

Erro ao estabelecer uma conexão com o Banco de Dados